Arquivos Mensais: novembro 2014

escrever

novembro 30th, 2014 (Nenhum comentário)

PARCONFLITO

novembro 28th, 2014 (Nenhum comentário)

PARCONFLITO faço bonito no bar escasso de algum agito : então medito na situação e fico aflito : sou esquisito e me vou todo finito : eu reflito sobre o seu parco conflito : fico no escrito onde é bico ser contradito : saio finito deste raio de mudo grito : por isso admito que […]

olhonolho

novembro 28th, 2014 (Nenhum comentário)

o olho no olho. que não existe mais. que não há. agora é a vez do olho de soslaio. que é regra. que está aí: epidêmico. ninguém mais gosta de olhar com força dentro do olho do outro. isso é até visto como sinal de loucura. o olho parado: cara de louco. eu não tiro […]

assobio quântico

novembro 27th, 2014 (Nenhum comentário)

Assobio quântico que eu agora preciso aturar. Tão clichê citar física quântica. Tão clichê dizer que algo é clichê. Quase tudo é clichê. Mas este assobio, que desdobra minha autoproclamada mente em ondas crispadas de sentimentos quânticos, está aqui, de um jeito nada clichê, abrindo dimensões. Não são as dores de um amanhã, colocando-se como […]

seus olhos meus

novembro 27th, 2014 (Nenhum comentário)

SEPARAÇÃO CIRÚRGICA Olhos seus, que bem poderiam ser meus, com o perdão da psicose fofa, tão feio isso, tão coisa antiga, a modernidade é esquizofrênica, não psicótica, a psicose é uma epidemia dos anos oitenta, não que eu entenda do assunto, mas isso saiu legal (analisando a tudo pelo ponto de vista de um diagnosticador […]

stalkear

novembro 25th, 2014 (Nenhum comentário)

tudo seu, eu não curto. tudo seu, eu não comento. tudo seu, eu vejo. sei o que é stalkear, mas finjo que não sei. e até acho que esse barbarismo (stalkear) é uma coisa que não merece nem uma adjetivação decente. eu entendo o motivo pelo qual não falamos simplesmente: perseguir. lembra coisa feia. é […]

Há vocês

novembro 25th, 2014 (Nenhum comentário)

Há vocês Há um irradiar de coração vadio por aqui. Uma soltura confortável que está ali. Pode não parecer, mas sou homem de interesses topográficos. E disfarço isso com versos que eu queria universais. Olha só, tem verso na palavra universo e eu juro que nunca tinha pensado nisso. Tem verso no reverso desse seu […]

astronomia de idiotas

novembro 25th, 2014 (Nenhum comentário)

ASTRONOMIA DE IDIOTAS há uma voz em mim que desliza calmamente pelos poros alucinados de todos os outros eus. eu estou cheio de eus. uma voz aqui um sopro lá: é muito eu pra pouco espaço. os meus eus formam uma aurora boreal minúscula no espaço vazio entre as minhas têmporas (o espaço vazio é […]

www.scriptsell.netBest Premium Wordpress Theme/Best Premium Wordpress Theme/ Top