não consumado

momento não consumado

Eu fico de terceira pessoa, meio de butuca nas coisas alheias, um testemunho dos momentos não consumados. O olhar não consumado. Há uma troca de olhar não consumado em cada esquina. Isso cria um problema, pois é preciso entrar nas curvas das ruas com o olho esperto, para não cair numa cruzada de olhar que não se quer olhar. As ruas já foram mais tranquilas. Uma espiada frouxa, flutuando pelas mesas da cafeteria que serve o pior café da cidade. Cá estou. Cá sou. Testemunha dos momentos não consumados.

- Vaner Micalopulos
*ilustração de Thiago Micalopulos





postado em por admin em prosa deixe um comentário

“Esquizo que sou”

Trechos do “Esquizo que sou e a gênese do você”, de J.Castro, texto de estreia do FAZNINE, o nosso zine. Em breve, o segundo exemplar. Fiquem espertos.

esquizo

esquizo

esquizo

Para mais informações sobre o FAZNINE acesse este link: http://umilhao.com.br/faznine1/
Para comprar o seu exemplar, aqui: http://marre.nuvemshop.com.br/


postado em por admin em poesia, prosa deixe um comentário

o idiota silencioso

o idiota

Não é homem de muita conversa. Difícil crer que, há algum tempo, já fora um rapaz falante. Agora, responde aos chamados de prosa apenas com um menear preguiçoso da cabeça. Existe falta de vontade ali. E uma certa pose errada. Em bares mete-se a transes de hiperfoco num mesmo ponto, às vezes por horas, só para evitar conversas que, para ele, são sempre desnecessárias. Há nisso tudo um pouco de exibicionismo, claro. Já comeu várias mulheres por conta disso. Elas gostam de idiotas silenciosos. Bem sabemos: em boca fechada não entra mosca. E é assim que o idiota silencioso se passa por gênio estiloso: evitando as moscas.

- Vaner Micalopulos
*ilustração de Thiago Micalopulos


postado em por admin em prosa deixe um comentário

a calcinha

calcinha

postado em por admin em prosa deixe um comentário

a gente somos inútil

inutil

tantas inutilidades. eu, na frente do espelho: inútil. na vida. em tudo. qual o problema com isso? por que essa ditadura do útil? o que é útil, afinal de contas? qual é a forma suprema de utilidade que sobreviverá ao inevitável desarranjo do universo? quando o sol se extinguir, quais de nossas úteis funções permanecerão? o futebol? o sistema trabalhista? a política? a literatura? qual forma de suprema utilidade resistirá à inutilidade do nosso sistema solar? é por isso que me sinto tão bem com minhas inutilidades: sinto-me cósmico. porque é assim o universo também: inútil.

— J.Castro

postado em por admin em prosa deixe um comentário

frases, gafes: frafes, grases?

fingindo

descobrindo

mente

rush

postado em por admin em poesia, prosa deixe um comentário

saio de cena

idiota

eu não estou nesse filme. nesse seu filme aí. nesse filme que é a sua vida. essa vida de palco. de tela. de projetor. que não tem luz própria. você só reflete. é uma lua. mas feia. e podre. lua podre. é isso que você é. até que achei a imagem bonita. mas não era pra ser. não me queira como ator nessa coisa aí que você chama de vida e que eu chamo de filminho de quinta. eu sou canastrão. pra caralho. sou tão canastra que acho palavrão uma coisa que choca. aí eu vou e falo. e fico parecendo um idiota. isso aí eu sei ser. é preciso ter alguma inteligência pra ser um idiota com estilo. mas ator eu não sei ser. eu saio de cena. fica aí. eu saio. com pena.

- J.Castro


postado em por admin em prosa deixe um comentário

falta queijo

queijo

postado em por admin em prosa deixe um comentário
« Previous   1 2 ... 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ... 25 26   Next »
www.scriptsell.netBest Premium Wordpress Theme/Best Premium Wordpress Theme/ Top