evitando o chumbo cármico

chumbo

tá na cara que eu não vou pegar ninguém hoje por aqui. não sem, pelo menos, foder completamente com o meu carma. se eu me der bem, alguém eventualmente acabará se dando mal. então temos lá a menina casada que só esperou o marido reclamar do cansaço pra conseguir convencê-lo, com extrema facilidade, de que hoje ela queria ficar pra dançar, só um pouquinho, com as bichas amigas e que ele poderia ir embora, tranquilinho. temos a menina gatachata que se acha um mulherão, mas que não passa duma guria gatachata mesmo e que, ainda por cima, está aí falando coisas estranhas. e temos também a magrela com cara de problema, que virou lésbica depois de velha e que está começando a desvirar logo agora, com a namoradinha bêbada gritando coisas como “eu sabia que você era uma lésbica poser” (não, filha: lésbica poser sou eu. sua mina só não gosta mais de você. só isso). enfim, eu fico aqui avaliando todas essas opções maravilhosas e decido que o melhor a fazer mesmo é ir pra casa. todas as alternativas são feitas do mais puro chumbo cármico. é fazer e afundar. ainda bem que eu tô sóbrio. assim fica mais fácil evitar o chumbo. fico na superfície. e vou embora.

- J.Castro





postado em por admin em prosa deixe um comentário

adicione comentário

www.scriptsell.netBest Premium Wordpress Theme/Best Premium Wordpress Theme/ Top