cita que cita

antoniovieira

drummond2

drummond3

pessoa

pessoa1




postado em por admin em poesia, prosa deixe um comentário

amar é…

pinon

trechos de I LOVE MY HUSBAND, de Nélida Piñon

“Eu amo meu marido. De manhã à noite. Mal acordo, ofereço-lhe café. Ele suspira exausto da noite sempre maldormida e começa a barbear-se. Bato-lhe à porta três vezes, antes que o café esfrie. Ele grunhe com raiva e eu vocifero com aflição. Não quero meu esforço confundido com um líquido frio que ele tragará como me traga duas vezes por semana, especialmente no sábado.
(…)
De repente, o espelho pareceu-me o símbolo de uma derrota que o homem trazia para casa e tornava-me bonita.
(…)
Ser mulher é perder-se no tempo, foi a regra de minha mãe. Quer dizer, quem mais vence o tempo que a condição feminina? O pai a aplaudia completando, o tempo não é o envelhecimento da mulher, mas sim o seu mistério jamais revelado ao mundo.
(…)
Assim fui aprendendo que a minha consciência que está a serviço da minha felicidade ao mesmo tempo está a serviço do meu marido.
(…)
Não posso reclamar. Todos os dias o marido contraria a versão do espelho. Olho-me ali e ele exige que eu me enxergue errado. Não sou em verdade as sombras, as rugas com que me vejo.
(…)
E também evita falar do meu corpo, que se alargou com os anos, já não visto os modelos de antes. (…) E quando a televisão exibe uns corpos em floração, mergulha a cara no jornal, no mundo só nós existimos.
(…)
Sou grata pelo esforço que faz em amar-me. Empenho-me em agradá-lo, ainda que sem vontade às vezes, (…). Sinto então a boca seca, seca por um cotidiano que confirma o gosto do pão comido às vésperas, e que me alimentará amanhã também. Um pão que ele e eu comemos há tantos anos sem reclamar, ungidos pelo amor, atados pela cerimônia de um casamento que nos declarou marido e mulher. Ah, sim, eu amo meu marido.”

I love my husband, de Nélida Piñon, In O Calor das Coisas. Rio, Record, 1998.

postado em por admin em prosa deixe um comentário

farruscadas

procrastinar

esecrve

postado em por admin em poesia deixe um comentário

não transo: transe

medita

eu não transo um transe. essas coisas que os artistas têm. eu não tenho. esses sintomas todos. passaram longe de mim. eu medito. mas quem quer saber desse tipo de coisa? pensam: foda-se isso, poeta! você medita? que merda é essa? me diz quem você comeu ontem, porra! eu tento, eu juro que tento. tento umas metafísicas. mas na maioria das vezes, fico apenas no terra-terra mesmo. é esta minha manha barrenta: até quero algum tipo de realização espiritual, mas tem que ser perto da terra. esperando o apodrecer. isso me dá vantagens. e algumas coragens. mas só algumas.

- J.Castro

postado em por admin em prosa deixe um comentário

tipo antena

noar

postado em por admin em prosa deixe um comentário

sem doce

doceamor

postado em por admin em Uncategorized deixe um comentário

desconfortável

aqui

postado em por admin em prosa deixe um comentário

Memória plasticular

memoria

postado em por admin em prosa deixe um comentário
« Previous   1 2 ... 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ... 20 21   Next »
www.scriptsell.netBest Premium Wordpress Theme/Best Premium Wordpress Theme/ Top