pegadinha do Mallandro

barganha16

Do Barganha, livro de Vaner Micalopulos, à venda aqui: http://marre.nuvemshop.com.br/livros/barganha/




postado em por admin em poesia deixe um comentário

SOBRE FÓSSEIS

fazer

Sobre uma oculta casca de sujeiras
e opiniões e cus e covardias
(cobrindo cascas que cobrem
outras cascas nessa doida
arqueologia de cebolas choronas)
estamos todos nós
em nossa triste condição
de relíquias prematuras.

Somos fósseis.

Me pego destruído. Tem que ser assim. Eu já sei quando a destruição se instalará. Ela está aí, comendo beiradas, escondendo-se nas sombras, enfileirando as mesmas coisas de sempre. É esta a vez da destruição. Para ter controle na vida é preciso admitir que não há controle na vida. Aí começa o controle. Está aí a destruição. Abrace-a. A única coisa que posso fazer sobre isso é não fazer nada sobre isso. Está aí a criação do controle.

Somos eu e você
numa soma estranha
que acaba sempre em menos
e a gente nem se pergunta
sobre o sobre.

É um esforço sobre-humano
parar de achar que tudo é
sobre você?

- Vaner Micalopulos

postado em por admin em poesia deixe um comentário

3 poemas do Vaner

axilas

mesconde

rebobina

postado em por admin em poesia deixe um comentário

raio fiel

raio

este raio de sol
refletido naquela janela
e pousando aqui
ao meu lado

este raio de sol
percorreu um longo caminho
para chegar até aqui

do sol
para a janela
de lá
até aqui

é muito mais
do que qualquer pessoa
já andou
por mim

— Vaner Micalopulos

postado em por admin em poesia deixe um comentário

apocalipses

apocalipses

Esta pequena noite que resolveu aparecer bem no meio da tarde. Estranha essa luz, uma luz de noite quase aí. E ainda estamos com os restos do almoço dissolvendo no estômago. Não sou eu que estou inventando essa escuridão, isso eu sei, as coisas dentro de casa estão claras. Mas lá fora, uma luz estranha, que me faz pensar em apocalipses. O fim do mundo está aí. Não poderia ser hoje? Agora? Poderia. E não haveria ninguém por perto para dizer “eu te amo”.

- Vaner Micalopulos

postado em por admin em os gráficos, prosa deixe um comentário

BARGANHA

Chegou o Barganha, livro de Vaner Micalopulos. Poema com 72 páginas, sobre as barganhas que fazemos para conseguirmos outras… barganhas. É de barganha em barganha que o diabo enche o inferno. Mas se você tiver medo dessas coisas de diabo, não tema: o poema é do bem. Veja algumas imagens do livro.

barganha

barganha

barganha

 

barganha

barganha19

barganha4

Curtiu? Vai lá pra lojinha da Marrê e garanta o seu exemplar.

Poesia pouca é bobagem.

postado em por admin em fixos, poesia deixe um comentário

Trechos do BARGANHA

barganha

barganha

barganha

barganha

barganha

barganha

barganha

Curtiu? A venda é aqui ó: http://marre.nuvemshop.com.br/ Frete grátis.

E aqui você encontra outros trechos e algumas informações sobre o poema: http://umilhao.com.br/barganhalivro/

postado em por admin em poesia deixe um comentário

BARGANHA

barganha

Barganha é um poemão. É mais ou menos grande: 72 páginas. Longo, mas de leitura rápida. Por isso: longuinho. Serve para ser lido de uma vez. Grande coisa. Se não fosse pequeno.

página 31

página 34

O lançamento do livro será no dia 11 de julho, mas a gente está abrindo uma pré-venda para os afobados afobarem-se à vontade. Com preço especial, claro. Afobem-se logo.

página 37

página 54

página 72

Lá na lojinha da Marrê Editora: https://marre.nuvemshop.com.br

Poesia pouca é bobagem.

Beijo.

postado em por admin em poesia deixe um comentário
www.scriptsell.netBest Premium Wordpress Theme/Best Premium Wordpress Theme/ Top